A FEI

História

  • Como tudo começa:

    A antiga Faculdade de Engenharia Industrial - FEI, e a Escola Superior de Administração de Negócios - ESAN, nasceram da intuição e da coragem do Pe. Roberto Sabóia de Medeiros, S.J. (1905-1955) um jesuíta visionário que, no início da década de 40, ao antever o crescimento econômico e a necessidade de engenheiros e gestores que a Indústria e o País necessitariam fundou as duas instituições.

  • 1941

    A primeira das instituições criadas por Pe. Roberto Sabóia de Medeiros foi a antiga Escola Superior de Administração de Negócios de São Paulo - ESAN/SP. Por não existir nenhuma Faculdade desse tipo no Brasil, Pe. Sabóia usou como modelo a "Graduate School of Business Administration" da Universidade de Harvard. Com isso, a ESAN/SP marcou o início formal dos estudos específicos de Administração no Brasil.

  • 1945

    É criada, pelo Pe. Roberto Sabóia de Medeiros, S.J., a Fundação de Ciências Aplicadas - atualmente denominada Fundação Educacional Inaciana "Pe. Sabóia de Medeiros” (FEI) - que tinha como objetivo manter a Faculdades de Engenharia Industrial - inaugurada no ano seguinte. A FEI é uma Instituição vinculada estatutariamente à Companhia de Jesus, responsável por sua orientação, sempre à luz dos princípios cristãos da defesa da Fé, da promoção da Justiça, da dignidade humana e dos valores éticos.

  • 1946

    O Decreto Presidência nº. 20.942, de 9/04/1946 autorizou o funcionamento da Faculdade de Engenharia Industrial, que teve suas atividades iniciadas em 20 de maio de 1946, com 50 vagas na modalidade Engenharia Química, em São Paulo.

  • 1951

    A FEI dá início ao Curso de Engenharia Mecânica.
    Em 20 de janeiro foi realizada a sessão solene da Congregação para a Colação de Grau da primeira turma da Faculdade de Engenharia Industrial.

  • 1957 a 1960

    O professor Lucas Nogueira Garcez, ex-governador do Estado de São Paulo, foi diretor da FEI.
    * No centro o Prof. Lucas Nogueira Garcez.

  • 1961

    Em 28 de janeiro de 1961, o então Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira assinou o decreto que tornou a ESAN a primeira Escola Superior de Administração de Empresas do país a ser reconhecida e oficializada pelos poderes públicos. O mesmo decreto reconheceu a validade dos diplomas dos alunos formados a partir de 1941.

  • 1963

    Com o constante crescimento, as instalações da Instituição foram transferidas para São Bernardo do Campo, em um terreno de 8.457m², onde começaram a funcionar o curso de Engenharia de Operação, nas modalidades Máquinas Operatrizes e Ferramentas, Refrigeração de Ar-condicionado, Eletrotécnica, Eletrônica, Eletrotécnica, Química, Metalurgia, Têxtil e Produção. No mesmo ano a FEI inaugurou o primeiro curso de Engenharia Mecânica com ênfase em Automobilística do País.

  • 1965

    Já com o campus de São Bernardo do Campo funcionando é instalada no ABC a Escola Superior de Administração de Negócios - ESAN/SBC, para suprir as necessidades geradas pela industrialização, que continuava a se expandir naquela região.

  • 1969

    O Pe. Aldemar Moreira, S.J., foi nomeado presidente da FEI, cargo em que permaneceu até seu falecimento, em julho de 1997. A FEI é atualmente presidida pelo educador e sacerdote jesuíta, o Pe. Theodoro Paulo Severino Peters, S.J.

  • 1971

    No final deste ano, a FEI desligou-se da PUC, voltando à condição de instituição isolada de ensino superior.

  • 1975

    Este ano marca o início das atividades do Instituto de Pesquisas e Estudos Industriais - IPEI. Deste então, o IPEI desenvolve e transfere tecnologia ao setor produtivo por meio de assessoria, projetos e serviços tecnológicos, nas áreas de: Mecânica, Química, Eletroeletrônica, Têxtil, Produção e Metalúrgica, constituindo elo com a indústria.

  • 1978

    Construção da Capela Santo Inácio de Loyola, em concreto aparente.

  • 1982

    Tendo como função principal a promoção do aprimoramento profissional no campo administrativo e tecnológico, o Instituto de Especialização em Ciências Administrativas e Tecnológicas – IECAT foi criado em 1982 para organizar e ministrar cursos de pós-graduação lato-sensu e cursos de extensão. A partir do segundo semestre de 1997, o IECAT passou a contar também com instalações em São Paulo, ampliando suas atividades.

  • 1999

    Iniciam-se as atividades da Faculdade de Informática - FCI, como o curso de Ciência da Computação.

  • 2002

    Dentro de uma proposta de integração e de agregação de competências, visando a excelência de seus cursos, as instituições FEI, FCI e ESAN foram transformadas no Centro Universitário da FEI, conforme aprovação do MEC, através da Portaria nº 2574, de 4 de dezembro de 2001.

  • 2005

    O Centro Universitário da FEI passou a fazer parte do seleto grupo que produz ciência no Brasil, quando a CAPES aprovou o primeiro curso de Mestrado em Engenharia Elétrica. A partir da experiência adquirida com o primeiro mestrado, a Instituição lançou os stricto sensu de Engenharia Mecânica e de Administração, em 2007, e de Engenharia Química, em 2013. Para dar ainda mais oportunidades aos pesquisadores para irem além da fronteira do conhecimento, a FEI lançou o doutorado em Administração em 2011, e em Engenharia Elétrica em 2012.

  • 2012

    O Centro Universitário FEI celebra 70 anos de história e de excelência na inovação e na formação de mais de 50 mil profissionais altamente qualificados para o setor empresarial, entre administradores, engenheiros e cientistas da computação.

  • 2015

    A FEI lança sua nova marca, que expressa de forma clara o seu prestígio e sua credibilidade, impulsionando novas formas de relacionamento e de cooperação. A solução gráfica dá o devido peso para o nome FEI, a exemplo das marcas usadas por grandes instituições ao redor do mundo e agrega força, modernidade, movimento e inovação.

  • 2016

    É lançada a Plataforma de Inovação FEI, um projeto que tem como objetivo proporcionar uma verdadeira transformação organizacional e cultural na Instituição, no sentido de atingir níveis mais elevados de qualidade em sua missão de educar, gerar e difundir conhecimento. Essa transformação é orientada segundo o novo marco referencial estabelecido em seu Plano de Desenvolvimento Institucional.

    Neste ano foi realizada a 1ª edição do Congresso de Inovação - Megatendências 2050.